Mercado de moda íntima no Brasil, uma grande oportunidade!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

O mercado de lingerie é um segmento da indústria têxtil que fatura mais 30 bilhões de dólares anualmente em todo mundo. Palavras como espartilha, fio dental, asa delta, meia taça, três quartos, com ou sem bojo, sete oitavos, discretas, com ou sem renda, fitas, ousadas, babados, decotadas, pequenas, médias, grandes, plus size, comestíveis, em todas as cores e texturas ganharam força nas últimas décadas e mudou o vestuário feminino.

O Brasil é o 5º maior produtor desse mercado no mundo. Segundo os dados da Abit – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, são produzidas 1,5 bilhão de peças por ano que movimentam aproximadamente 3,6 bilhões de reais.

 

Mercado cheio de oportunidades

O mercado da moda íntima tem na marca Victoria´s Secret a maior vendedora de lingerie mundial. A empresa norte-americana movimenta mais de 6 bilhões de dólares anualmente. No entanto, pequenos empreendedores têm grandes chances de crescimento nesse setor, pois o setor apresenta vários nichos e oportunidades.

O mercado de lingerie consegue atender diversos tipos de públicos, pois há uma infinidade de diferentes e customizados modelos que atendem todos os tipos de bolsos.

Mulheres na faixa entre os 35 e 55 anos são consumidoras vorazes desse mercado, portanto o empreendedor que deseja investir nesse público e obter lucro, deve criar peças customizadas para o padrão dessas mulheres.

O setor expandiu nos últimos anos, em razão do crescimento de cursos universitários de design em moda, o que possibilita que novos empreendedores criem suas próprias peças com o uso de novas técnicas, tecidos e ideias.

 Conhecer e identificar o mercado

Os polos da moda no Brasil estão presentes nos estados de Goiás, Santa Catarina, Ceará, Rio de Janeiro, entre outros. No mercado brasileiro, 56% das vendas de moda íntima são de sutiãs.

Além disso, muitas confecções estão investindo em outros segmentos que estão em crescimento: praia, fitness e sensual/erótica, principalmente com vendas pela internet e por meio de catálogos.

O mais importante para o empreendedor e saber identificar e conhecer o mercado, para evitar perdas e maximizar os lucros. Numa pesquisa realizada recentemente pelo o IEMI – Instituto de Estudos e Marketing Industrial apontou o perfil e o comportamento dos consumidores de moda íntima no Brasil:

  • Principal faixa etária de consumidoras é entre 25 e 34 anos entre as classes B e C;
  • 80% das consumidoras compram em lojas físicas;
  • 32% das compras vieram da necessidade de substituir uma antiga peça;
  • O gasto médio das mulheres é de aproximadamente de R$ 100,00, já os homens gastam um pouco mais com moda íntima masculina – R$ 120,00;
  • 65% dos consumidores compram roupas íntimas pelo menos uma vez por mês;
  • Quase 80% das compras eram destinadas para o consumo próprio;
  • 92% dos consumidores já conheciam a loja onde fez a compra;
  • Quase 50% das compras no varejo foram realizadas em lojas multimarcas;

O Instituto apontou que o mercado de moda íntima tem crescido nos últimos tempos e ganhou grande importância no guarda-roupa do consumidor brasileiro, pois pequenos e grandes fabricantes conseguem conviver e oferecer novas oportunidades para os diferentes nichos.

 

 

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *